HANSENÍASE: ASPECTOS INTERPROFISSIONAIS E INTERDISCIPLINARES

Autores

Palavras-chave:

Hanseníase, aspectos interprofissionais, interdisciplinares

Resumo

Caro leitor, você sabia que o termo universitário surge do latim universitas, que se associa ao termo universo e é seguido pelo “versus” que diz respeito ao verbo vertere, que nos lembra a ação de verter, derramar, virar, mudar. No final do século XI foi fundada a primeira universidade na cidade de Bolonha na Itália e nos séculos XII e XII foram sendo criadas as “comunidades educativas” com interesses próprios. (https://etimologia.com.br/universidade/). Eu não abordaria esta etimologia se, eu não me identificasse e achasse muito curioso o ambiente universitário. Nós entramos jovens, achando que conhecemos e dominamos o mundo e saímos adultos, entendendo que temos muito a aprender.

A universidade é, de fato, um ambiente de transformação, de crescimento, de reconhecimento e entendimento sobre o nosso lugar neste mundo. E é neste ambiente que somos estimulados pelos maravilhosos professores a desenvolver nosso pensamento crítico e a nos debruçarmos no estudo de um tema específico. E, você, caro leitor, concordará comigo que algo mágico acontece em nossos corações quando assistimos uma aula de um professor que tem brilho nos olhos ao ensinar a sua disciplina, parece como um imã que excita nossa curiosidade e nos atrai e que, por vezes, definirá a trajetória de nossa vida profissional.

O que você, caro leitor, irá encontrar nos próximos capítulos deste livro são textos, com formato científico, produzidos por profissionais, alunos e professores de renomadas universidades brasileiras sobre o tema hanseníase. Acredito que você irá se identificar ao pensar que cada palavra, cada linha e cada parágrafo foi escrito com o mais rigoroso olhar daquele professor que, com profissionalismo, conduziu cada um de seus aprendizes ao crescimento profissional e pessoal estimulando-os ao caminho da pesquisa.

Esta é uma louvável iniciativa dos professores Inez Montagner e Miguel Montagner, da Universidade de Brasília (UnB) e da diretoria da Rede Universitária Nacional de Enfrentamento da Hanseníase - REUNA-HANS Brasil que se unem para compor os capítulos deste livro que está sendo apresentado agora, e outros que virão ao longo dos próximos anos.

A proposta é compilar artigos científicos, advindos de trabalhos de conclusão de curso, de residências, aprimoramentos e afins com intuito de enaltecer o tema central e reverberar à comunidade a importância de estudarmos sobre uma doença que devasta vidas pelas deficiências físicas que provoca, pelo estigma que causa e por ser o Brasil o segundo País mais endêmico do mundo carecendo, portanto, de iniciativas como esta.  

Nos nove capítulos deste livro você encontrará temas como direitos dos pacientes de hanseníase e os impactos das políticas públicas brasileiras no enfrentamento da doença e o resgate histórico da profilaxia da hanseníase em São Paulo revelando o isolamento compulsório do asilo colônia Santo Ângelo-SP e segue com um assunto reflexivo e pertinente que trata dos hospitais colônia e políticas públicas de saúde em forma de notas etnográficas. Também há a abordagem da hanseníase e sua vulnerabilidade dentro de uma revisão integrativa e o cuidado a pessoa com hanseníase na atenção primaria dentro de uma perspectiva emocional. Nos capítulos seguintes, o livro ainda traz, a você leitor, a importância da aplicação de protocolos validados para avaliar o estigma e a limitação de atividades em um serviço de Terapia Ocupacional de Macapá-AP e mergulha no entendimento da limitação de atividades em indivíduos com hanseníase finalizando com um tema evidente e necessário de ser estudado que são os transtornos emocionais (psicológicos e mentais) em pessoas que tem ou tiveram hanseníase.

Saiba que, com brilho nos olhos, e coração palpitante este fascículo foi pensado, organizado, escrito e que, com entusiasmo esperamos contagiá-lo a se unir a nossa causa com esta fascinante leitura.

 

Profa. Dra. Susilene Maria Tonelli Nardi

Terapeuta Ocupacional

Pesquisadora Científica VI- Instituto Adolfo Lutz de São José do Rio Preto-SP.

Editora da Revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas

Vice coordenadora da Rede Universitária Nacional de Enfrentamento da Hanseníase – REUNA-HANS Brasil

 

 

Biografia do Autor

Miguel Ângelo Montagner, Universidade de Brasília, UnB, DF, Brasil

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas UNICAMP (2000), Mestre (2003) e Doutor em Saúde Coletiva (2007) pela UNICAMP, Departamento de Medicina Preventiva e Social, além de Doutor no Centre Maurice Halbwachs - École normale supérieure de Paris ? ENS (2006). Realizou Pós-Doutorado (Período de Estágio Pós-Doutoral com bolsa CAPES) no IRIS - Institut de recherche interdisciplinaire sur les enjeux sociaux (Sciences sociales, Politique, Santé), da EHESS e Universidade Paris XIII. É Professor Associado II da Universidade de Brasília - Campus Ceilândia e orientador no Programa de Pós-Graduação da Cátedra Unesco de Bioética da Faculdade da Saúde da UnB. Coordenou o Curso de Graduação em Saúde Coletiva. Coordenador do Observatório de Saúde de Populações em Vulnerabilidade ObVUL. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Saúde. Especialista na teoria bourdieusiana e em métodos de pesquisa social. Trabalha principalmente com saúde coletiva, sociologia da saúde e bioética.

Luísiane de Ávila Santana, Universidade de Brasília, UnB, DF, Brasil

Fisioterapeuta Doutora em Ciências Médicas na área de Patologia e Mestre em Bioengenharia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo (FMRP/USP), realizou pesquisa na linha de regeneração hepática e recursos eletroterapêuticos em cicatrização. Participou de eventos científicos importantes com apresentações de trabalhos e publicações em anais. Possui também publicações em revistas indexadas. Tem experiência como docente nas áreas de Recursos Eletroterapêuticos, Hidroterapia, Ética e Saúde do Trabalho e em pós-graduação atuou como professora na disciplina de Recursos Eletroterapêutico. Tem experiência científica nas áreas de cicatrização, recursos eletroterapêuticos e patologia, atuando principalmente nos seguintes temas: cicatrização, regeneração hepática, eletrotermofototerapia, análise de imagem, análise imunohistopatológica, PCR, westernblot. Desenvolve projetos em cicatrização e regeneração hepática participando como membro do grupo de pesquisa do curso de Dermatologia e Patologia da FMRP/USP. Atualmente é professora da Universidade de Brasília (UnB) - Faculdade de Ceilândia (FCE).

Closeny Maria Soares Modesto, Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Brasil

Possui Graduação pela Universidade Federal de Mato Grosso (1981). Atualmente é Docente da Classe de Professor Adjunto IV da Universidade Federal de Mato Grosso com Especialização em Administração e Assistência de Enfermagem pela UFMT em 1988; Foi Assessora do Superintendente da Fundação de Saúde de Cuiabá/FUSC (1998), Assessora Técnica da Superintendência do Hospital universitário Júlio Muller/HUJM (2004 a 2006), Atualmente está matriculada em Programa de Pós Graduação de Mestrado em Ciências da Educação. Ocupou o cargo de Vice Coordenadora e Tutora de Campo, Tutora de Campo e de Núcleo do Programa de Residência Integrada Multi profissional em saúde do Adulto e do Idoso com Ênfase em Cardiovascular (PRIMSCAV) da UFMT de 2012 a 2014; Tutora do PRÓ/PET SAÚDE do Ministério da Saúde/UFMT no Sub Projeto Doenças Transmissíveis com bolsistas atuando na atenção Básica e Secundária.

Clodis Maria Tavares, Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (1976), Mestrado em Saúde Pública com área de concentração em Epidemiologia pela Universidade Federal do Ceará (1997) e Doutorado em Ciências - EERP-USP (2014). Atualmente é Profa. Aposentada e Colaboradora da Universidade Federal de Alagoas. Professora da Pós-graduação (Mestrado) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Vinculada como docente permanente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem atuando nas linhas de pesquisa: enfermagem, vida, saúde, cuidado dos grupos humanos. Voluntária do Movimento de reintegração das pessoas atingidas pela hanseníase -MORHAN-AL. Coordenadora da Rede Universitária Nacional de Combate à hanseníase. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: epidemiologia, vigilância em saúde (epidemiológica), hanseníase, tuberculose, IST/Aids e doenças negligenciadas

Silvia Helena Bastos de Paula, Universidade Mogi das Cruzes, UMC, Brasil

Pesquisadora Científica V do Núcleo de Investigação em Políticas e Práticas de Saúde do Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de São Paulo. Enfermeira, Doutora em Ciências na área de concentração de Infectologia e Saúde Pública (2008), pelo Programa de Pós-graduação CCD SES SP do Instituto Emílio Ribas, Mestre em Enfermagem em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará (1997), Especialista em Ativação de Mudanças na Formação de Profissionais de Saúde para o SUS pela Fiocruz (2007), Especialista em Gestão de Sistemas de Saúde pela Escola de Saúde Pública em cooperação com o Instituto Sanità de Milão (1995), Especialista em Enfermagem em Saúde Pública, pela Universidade Federal do Ceará (1991), Habilitação Profissional em Enfermagem em Saúde Pública (1978). Graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará (1977), FAFICE- Faculdade de Filosofia do Ceará - 1978 - Licenciatura Plena pela Universidade Estadual do Ceará (1982).

Downloads

Publicado

2021-12-26

Como Citar

Montagner, M. A. ., Santana, L. de A. ., Modesto, C. M. S. ., Tavares, C. M. ., & Paula, S. H. B. de . (2021). HANSENÍASE: ASPECTOS INTERPROFISSIONAIS E INTERDISCIPLINARES. Editora Coleta Científica, 1(1), 169. Recuperado de http://portalcoleta.com.br/index.php/editora/article/view/89

Edição

Seção

LIVROS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)